Nos últimos dois anos, a rotina das pessoas foi grandemente impactada pela pandemia. A criação de negócios na internet ou a mudança de empresas para o modo digital, foi a saída eficaz encontrada para as mulheres empreendedoras, em um momento em que as redes de apoio ficaram mais difíceis.

O acúmulo de funções, fechamento das escolas, distanciamento social, ajudaram a colapsar a rotina. A partir de então passou-se a discutir um assunto que por muito tempo passou despercebido: a saúde mental das mulheres.

Rede Mulher Empreendedora (RME), divulgou dados que mostram que 73% das mulheres começaram a utilizar estratégias para divulgação de seus produtos via internet, assim como 66% disseram estar mais ansiosas e 52% mais cansadas.

De acordo com uma pesquisa desenvolvida pela Troposlab em parceria com a UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), apontou que 51,1% dos empreendedores tiveram a vida afetada pela pandemia. Dos quais, as mulheres apresentam mais sintomas relacionados a ansiedade, estresse e depressão, em relação aos homens.

Atualmente, o Brasil possui 30 milhões de empreendedoras, só em 2020 com o início da pandemia, o aumento do empreendedorismo feminino foi de 40%. Apesar do crescimento, as mulheres seguem rodeadas de desafios nesse ramo, pois muitas são obrigadas a embarcar em uma dupla jornada, com trabalho e cuidados domésticos.

Em alguns casos elas também são as principais ou as únicas provedoras do lar, e como consequência os cuidados com a saúde mental acabam ficando em segundo plano.

Portanto, para equilibrar trabalho e saúde é preciso:

(Foto: Reprodução)
  • Fortalecer seus vínculos sociais: a solidão pode ser um sentimento comum para quem trabalha no ramo do empreendedorismo. Mas mesmo distantes amigos e familiares são importantes para melhorar o seu bem-estar e afastar o isolamento.
  • Trabalhe com responsabilidade: mesmo que seu trabalho mereça toda sua dedicação, é necessário saber equilibrar e não deixar que isso se torne pesado.
  • Invista em autoconhecimento: o auxílio de um profissional da área da saúde mental pode ser primordial para ajudar aqueles que estejam passando por alguma crise relacionada a esse tema.
  • Aprenda a dizer não: seja mais seletivo com o que você escolhe e se compromete. Não se desgaste por algo desnecessário. O “não” é uma palavra que deve ser dita tanto para você, quanto para os outros.

Por: Camila Praseres