Desde a semana passada, está sendo compartilhado nas redes sociais uma informação que pessoas contaminadas pelo coronavírus isoladas em casa, como forma de evitar a propagação do vírus, têm a carga viral aumentada por “autocontaminação”.

A mensagem está sendo compartilhada junto a uma reportagem e fala sobre a chamada imunidade de rebanho que induz que os contaminados devem abandonar o distanciamento social, pois correm o risco de aumentarem a carga viral.

“É tão óbvio isso. A Itália foi a maior prova de que as pessoas trancadas em casa respiram o próprio vírus, aumentando a carga viral da Covid-19, gerando uma espécie de superdosagem e tornando a gripe chinesa, que era leve, em grave ou fatal”, diz a legenda.

No entanto, a informação é falsa.

De acordo com o médico epidemiologista Antônio Augusto Silva, o isolamento social não permite que contaminados respirarem o próprio vírus e aumentem o nível de carga viral. “A possibilidade de reinfecção existe mas não é comum”, afirma o especialista.

O médico acrescenta ainda que os infectados pelo novo coronavírus geralmente irão desenvolver anticorpos.

Para a infectologista Maria dos Remédios Carvalho, o isolamento social é a melhor opção para evitar o contágio, até mesmo para quem já foi contaminado, pois ainda não se sabe se o paciente fica imune ao vírus.

“A princípio, a pessoa se cura e não se contamina mais pela Covid-19 por algum tempo. Não se sabe se essa proteção será permanente ou transitória por alguns meses ou anos. Como a doença é nova, só saberemos a duração dessa proteção ao decorrer dos dias”, destaca a especialista.

O IMPARCIAL