FOTOS: MORADORES DA ZONA RURAL DE MAGALHÃES DE ALMEIDA SÃO AFETADOS PELA CHEIA DA LAGOA DO BACURI; COMUNIDADES ESTÃO ILHADAS

Diversas fotos mostrando a situação da zona rural de Magalhães de Almeida estão sendo mostrada em redes sociais e chamando a atenção da sociedade. As cheias da Lagoa do Bacuri já afetou direta e indiretamente centenas de pessoas.

Segundo informações de moradores as aulas estão suspensas em alguns povoados devido corte no acesso das estradas, um dos povoados mais afetados com isolamento é o povoado Alto do Cedro.

As águas também interromperam a passagem de moradores e motoristas que utilizam a ponte ligando s povoados pedrinhas e Coqueiro.

Veja as fotos de como está a lagoa.

 

1 30704113_1806866072698873_5818878768441196544_n 30704544_1806865932698887_8970745122815737856_n 30710142_1806865972698883_2177680158603870208_n 30710269_1806865999365547_2675272675558948864_n 30727152_1806865899365557_5355111841951383552_n 30741509_1806866029365544_141604208460693504_n

Foto: R.Mathias

FONTE: PORTAL RIO PARNAÍBA

Peixes escapam de criatórios e empresários relatam prejuízos no Piauí

Nos últimos dias a população de José de Freitas viveu momentos de tensão com o risco da Barragem do Bezerro romper. Centenas de pessoas foram retiradas de suas casas e estão abrigadas em escolas ou casa de familiares e os prejuízos não são apenas emocionais.

O Governo do Estado já descartou que a barragem vai romper, mas empresários lamentam os prejuízos. Agricultores tiveram a terra que trabalham tomadas pela água e piscicultores também relatam perdas.

Nos últimos dias, várias fotos de peixes grandes começaram a circular nas redes sociais como sendo pescados após a cheia na barragem. Acontece que a maioria desses peixes são dos tanques de produtores da cidade que agora lamentam o prejuízo.

Um dos empresários afetados, José Francisco Cunha, conhecido como ‘Vein do Beladim’, relatou a fuga de centenas de peixes que abasteceriam o comércio local e consequentemente afeta a economia da cidade.

Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Idepi continuam atuando na cidade e as famílias ainda não podem voltar para as áreas de risco até que outros levantamentos sobre a situação da barragem sejam concluídos.

Fonte: Revista Opinião

Governo de Luzilândia está em ação diante das possíveis enchentes, 11 famílias já foram retiradas das áreas de riscos

Desde os primeiros alertas emitidos a Luzilândia, sobre a possível enchente no Parnaíba, a guarda municipal/ Defesa Civil, iniciou seus trabalhos quanto a elaboração de um plano de medidas preventivas. As medidas e estratégias como mapeamento e monitoramento das áreas de risco e também do volume de elevação diário do rio Paranaíba.

Na tarde de ontem, o prefeito recepcionou 23 policiais militares, após reunião com a vice-governadora Margarete coelho que veio a Luzilândia representando o governador Wellington Dias. Estes policiais acompanharam o trabalho de prevenção e apoio em qualquer circunstância durante o período que for necessário. A prefeitura de Luzilândia disponibilizou hospedagem e alimentação para os mesmos, que agora integram a comissão de defesa civil do município.

DSC_0003

O Prefeito Ronaldo Gomes, acompanhando toda a situação, determinou aos departamentos do governo, que formassem equipes, para a realização de cadastramento de famílias em risco de serem afetadas pelas enchentes. O trabalho das equipes, intensificaram-se nos bairros da região ribeirinha de Luzilândia nesta tarde, após  uma reunião na câmara municipal nesta manhã, onde maiores estratégias foram definidas.

O trabalho desta força tarefa resultará no auxílio aos moradores em lugar de risco.

Sobre o cadastramento, este catalogara as necessidades como: os alojamentos as famílias mediante possíveis remoções para os locais já preparados pela comissão, também alimentos, cuidados com a saúde entre outros. Frisamos ainda que, às famílias reconheçam os profissionais através dos  crachás da Defesa Civil que os mesmos usam.

Até agora, 11 famílias foram removidas.

DSC_0004 DSC_0005 DSC_0006 DSC_0007 DSC_0008 DSC_0009 DSC_0010 DSC_0011 DSC_0012 DSC_0013 DSC_0014 DSC_0015

FONTE/ PORTAL RIO PARNAÍBA

Situação dos municípios de Luzilândia Esperantina, Joca Marques, Madeiro e demais ribeirinhos é extremamente grave Alerta a Defesa Civil

Os municípios de Luzilândia, Esperantina, Joca Marques, Madeiro e demais municípios ribeirinhos do Rio Parnaíba terão dias difíceis conforme Alerta a defesa civil do Estado.

Em uma reunião nesta quarta-feira 11 de abril no qual a vice-governadora do Piauí Margarete Coelho, o prefeito da cidade Ronaldo Gomes, o prefeito de Joca Marques Betão, a deputada estadual Janaína Marques, a prefeita de Esperantina Vilma Amorim, o coronel do Corpo de Bombeiros do Estado do Piauí, membros da Defesa Civil e da secretaria de saúde do município estiveram presentes no salão da casa paroquial discutindo ações emergenciais que serão tomadas a partir desta quinta feira(12) no município e na região.

Depois de todas as discussões preventivas, vieram as informações de que as águas do Rio Parnaíba terão um aumento de 50 a 60 cm na noite de quarta para quinta-feira, segundo informou a defesa civil, através  do Corpo de Bombeiros. O Coronel Feitosa informou que a barragem de Boa Esperança continua com suas comportas abertas o que aumentará os metros³ e o volume do Rio Parnaíba. Portanto, a região que já vive em situação de alerta, de grandes percas na agricultura não terão dias fáceis, além do Risco eminente de uma grande enchente na sede da cidade de Luzilândia e demais ribeirinhas.

IMG_2027

Questionamos a vice-governadora de quais  planos emergenciais  o governo do estado disponibiliza no caso de uma eventual calamidade, segundo ela;

– A situação é extremamente grave. Que foi o rompimento da barragem do bezerro em José de Freitas trará as águas vivas para essa região, a essa possibilidade de nós temos essa noite de  hoje para manhã cerca de 50 a 60 cent.  no volume do rio Parnaíba, e a informação de que ainda há muita chuva lá em cima nas Cabeceiras do rio na região do Cerrado,  com isso, a barragem da Boa Esperança vai ter que liberar mais águas, isso tudo gerou estado de alerta, mas, não queremos que aconteça um acidente maior, percas de vidas humanas, queremos minimizar o máximo possível os prejuízos, por essa questão nos reunimos hoje aqui com todos os prefeitos da região.

Deixaremos cerca de 23 policiais militares  do corpo de bombeiros experiente em busca e salvamento, os assistentes sociais estarão de prontidão para tender as pessoas que estão em área de risco.  O pessoal de saúde vieram orientar a respeito das viroses que podem surgir com essa subida das águas do rio. “Disse Margarete Coelho”

IMG_2055

 vice-governadora do Piauí Margarete Coelho

IMG_2029 IMG_2032 IMG_2034 IMG_2037

IMG_2035 IMG_2054

 

FONTE: PORTAL RIO PARNAÍBA

Crianças sedentárias de hoje serão os cardíacos do futuro, alerta especialista

DIA MUNDIAL DA ATIVIDADE FÍSICA
Apenas um a cada dez pacientes que procuram consultório do cardiologista Rafael Jung. Os outros nove começam a realizar atividades físicas após a orientação médica para ajudar no sucesso do tratamento de alguma doença cardíaca. Segundo o  médico do Hap Vida, o estilo de vida da maioria das pessoas que excluem completamente do seu dia-a-dia alguma atividade física é a principal causa de doenças cardíacas. E o futuro das crianças, que também estão no sedentarismo é preocupante.
As doenças do coração afetam principalmente pessoas acima dos 35 anos devido a processos cumulativos, por isso os dados sobre os  hábitos das crianças  confirmam a preocupação do especialista. Segundo a revista científica The Lancet, a taxa global de obesidade em crianças disparou em 41 anos. E no Brasil, de acordo com a  Federação Mundial de Obesidade, até 2025 o país terá mais de 11 de crianças obesas com grande propensão a doenças cardiovasculares no futuro.
“Os pais são muito ocupados, as crianças comem mal, não se exercitam e tem estilo de vida sedentário e isso vai gerar sim problemas no futuro. Com certeza teremos uma geração inteira de adultos com doenças cardíacas, ligadas a obesidade”, afirma.
O dia 6 de abril foi designado pela Organização Mundial de Saúde como o Dia Mundial da Atividade Física exatamente com o propósito de conscientizar para a necessidade da adoção da atividade física diária  como prevenção de várias doenças, não só as cardíacas. Rafael Jung explica que as mudanças de hábito, para diminuir o risco de infartos,hipertensão, outras doenças do coração e de doenças crônicas como diabetes,  devem ser orientadas de maneira multidisciplinar com o envolvimento de profissionais de várias áreas, como o próprio cardiologista, educadores físicos e psicólogos e outros.
 “Hoje em dia as pessoas são mais sedentárias que na época dos nossos avós e se alimentam mal. No tempo dos nossos avós não existiam essas comidas industrializadas, por exemplo, se andava mais, não existia controle remoto. As pessoas eram mais ativas. Esse estilo de vida com o sedentarismo leva as doenças cardiovasculares. A mudança de hábito não é fácil e ela deve ocorrer com prazer. “, afirma o médico.  Lembrado que praticar exercícios, de intensidade moderada, durante meia hora por dia já é suficiente para que a pessoa deixe de ser sedentária e se previna de muitas doenças.
AI COMUNICAÇÃO

MEC suspende criação de cursos de medicina por cinco anos

BRASÍLIA – A criação de cursos de medicina no país está suspensa por cinco anos, de acordo com portaria assinada hoje (5) durante reunião do presidente Michel Temer com o ministro da Educação, Mendonça Filho, e representantes do Conselho Federal de Medicina e entidades ligadas ao setor. A medida vale para instituições públicas federais, estaduais e municipais e privadas. A ampliação de vagas em cursos de medicina já existentes em instituições federais também fica suspensa pelo mesmo período.

De acordo com Mendonça Filho, a medida se justifica pela necessidade de fazer uma avaliação e adequação da formação médica no Brasil. Segundo ele, foi grande o número de cursos abertos no país nos últimos anos e agora é preciso zelar pela qualidade.

“Teremos moratória de cinco anos para que possamos reavaliar todo o quadro de formação médica no Brasil. Isso se faz necessário até porque as metas traçadas com relação à ampliação de médicos no Brasil já foram atingidas. Mais que dobramos o número total de faculdades de formação de medicina nos últimos anos, o que significa dizer que há uma presença de formação médica em todas as regiões do Brasil”, afirmou o ministro.

Mendonça Filho explicou que duas portarias serão publicadas no Diário Oficial da União de amanhã (6). Uma estabelece a suspensão da criação de novos cursos de medicina por cinco anos e a outra orienta os sistemais estaduais e municipais a cumprirem a norma.

“Nos casos das estaduais, a regulação é feita pelos Conselhos Estaduais de Educação. Elas têm autonomia, de acordo com a Constituição Federal, assim como as municipais. Mas todas essas regras estão subordinadas ao comando-geral definido a partir de uma portaria adicional que foi assinada hoje por mim”, explicou.

Repercussões

O presidente do Conselho Federal de Medicina, Carlos Vital, disse que há um número excessivo de vagas abertas em cursos de medicina no país. “Essa portaria vem ao encontro da necessidade de controle da autorização de novas escolas. Temos algo em torno de 31 mil vagas de curso de medicina. Isso vai projetar o número de médicos per capta a uma demanda que não é compatível com países de primeiro mundo”, disse.

Questionado se suspender novos cursos não é uma atitude corporativista, Vital negou. “Isso é bem distante de um corporativismo. Essa é uma ação corporativa no sentido de preservar valores como vida, saúde e dignidade humana com uma prática médica qualificada”.

Para a Associação Médica Brasileira (AMB), a moratória pode ajudar a resolver os problemas envolvendo as escolas médicas. A entidade vem cobrando desde o ano passado medidas do governo, pois a maioria das novas escolas não tem conseguido garantir uma formação adequada aos estudantes de medicina, devido a problemas e deficiências que apresentam. A AMB também tem cobrado maior fiscalização nas escolas existentes e a realização de um exame nacional de proficiência em medicina para os estudantes e os egressos de todas as escolas.

Já a Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES) considera que a medida representa “um retrocesso que compromete o desenvolvimento do país e o atendimento à população naquilo que é um direito humano fundamental, o direito à saúde”. Para a ABMES, é contraditório que o governo, poucos meses após criar uma regra específica para o aumento de vagas, proíba a criação dessas mesmas vagas, inclusive em cursos com reconhecida qualidade, referindo-se ao Programa Mais Médicos.

FONTE: AGÊNCIA BRASIL

Donec ullamcorper iaculis elementum

4Donec ullamcorper iaculis elementum. Morbi nec consequat quam, eget interdum arcu. In at dolor est. Cras placerat ultricies nisl, non scelerisque turpis iaculis vitae. Integer fringilla aliquet libero a euismod. Curabitur a risus et mauris faucibus tincidunt. In egestas nibh urna, eget semper enim condimentum sed. Ut ac posuere nulla, vel lobortis arcu. Curabitur nunc lorem, lacinia tincidunt tortor eu, venenatis tincidunt massa. In vel lobortis nibh. Donec diam nunc, blandit nec accumsan ac, condimentum in mi. Cras ac tellus a velit tempus dignissim. In ac metus non erat blandit congue.