Piauí terá R$ 650 milhões em investimento no saneamento até 2022

Para explicitar o cenário atual do setor no país, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) apresentou na quarta-feira, 07 de novembro, o estudo A realidade do saneamento básico no Brasil. O levantamento, que oferece um retrato completo dos serviços de água e esgoto, além de dados de investimentos e exemplos bem-sucedidos de municípios que recorreram à iniciativa privada para ampliar o atendimento à população, aponta que o Piauí é o segundo Estado do Nordeste em investimentos estimados na área pela iniciativa privada até 2022.

O montante estimado em aplicação no saneamento no Piauí é de R$ 650 milhões, valor maior só é observado em Pernambuco, R$ 1,1 bilhão. Além destes dois Estados, somente Alagoas e Maranhão também devem contar com investimento privado no setor. É importante frisar que no Piauí, os investimentos privados em saneamento vem sendo alavancados pela Aegea, que é responsável pela Águas de Teresina.

A CNI ainda reverbera que atualmente, mais de 2 milhões de pessoas permanecem sem coleta de esgoto, o equivalente a seis em cada dez habitantes do estado. O investimento em saneamento no Piauí ainda é considerado baixo, apesar dos avanços prospectados, ficando em R$ 43,08 por habitante no período de 2014 a 2016. Assim, a Confederação sinaliza que é preciso ampliar, significativamente, o volume de recursos destinados à ampliação dos serviços de água e esgoto no Piauí.

No Nordeste, os Estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Sergipe e Bahia não possuem investimentos privados previstos para a área nos próximos quatro anos.

FONTE:MN



Deixe uma resposta